Este blogue é dedicado à memória do meu Pai, Alberto Pedroso (7 de Abril de 1930/1 de Janeiro de 2011).

quarta-feira, 27 de abril de 2011

this is not here







...que memórias levamos, em que labirintos nos escondemos, quem encontramos, em que espelhos nos vemos,

NO TEMPO DA OUTRA SENHORA














Em 1936 Salazar criou a Mocidade Portuguesa, com o fim de arregimentar a juventude, era obrigatória para os rapazes entre os 7 e os 14 anos. Foi criada à imagem das Juventudes Hitlerianas (!) (.... quem Salazar tinha como modelo!!!...)
Não esquecer para quem não viveu esses tempos que por detrás das "bonitas e limpas" imagens está uma ideologia que defendia a superioridade racial, a supremacia dos mais fortes, o desprezo pelos fracos e indefesos, o endeusamento do Chefe.
Junto também fotos das Juventudes Hitlerianas, quem quiser que descubra as diferenças!

Lá pelos anos 60, lembro-me de ver o meu irmão, teria ele aí uns dez anitos, quando entrou para o liceu Camões, enfiado naquela horrível farda, com um ar infeliz de quem queria estar em todo o lado menos ali, e foi obrigado a participar, já não sei muito bem como conseguiu não participar nos desfiles, mas das actividades não se safou!

Para as raparigas era mais fácil, não era obrigatório, pelo menos naquela altura. Aos onze anos, quando entrei para o Liceu Rainha D. Leonor, acho que tive de me inscrever, mas nunca participei em nada nem sequer cheguei a ter farda, ufa, do que eu me livrei!!!

Filhos de antifascistas e resistentes, embora crianças, tanto eu como o meu irmão sabiamos muito bem o que tudo aquilo significava e aprendemos bem cedo à nossa própria custa o que era ser diferente.

SOU UMA ADOLESCENTE DOS ANOS 60!!






WOODSTOCK!Agosto de 1969! nunca houve um Festival como este! (pelo menos nunca tinha havido!!!)

terça-feira, 26 de abril de 2011

25 ABRIL 1974












Os verdadeiros herois do 25 de Abril de 1974 foram os milhares e milhares de anónimos que a partir dessa madrugada sairam á rua gritando o seu entusiasmo e os também milhares de anónimos que de uma forma ou de outra contribuiram para ao longo de 48 anos para que o regime ditatorial mudasse e pudessemos viver em liberdade e democracia.

Hoje em dia há muita gente por aí a dizer que se calhar não valeu a pena, não sabem o que dizem, vale sempre a pena: podemos falar abertamente sem sermos presos, temos assistência social, subsidio no desemprego, saneamento básico quase a 100%, electrificação do país, escolas para toda a gente, estradas para todo o lado, imprensa livre, liberdade de reunião e de manifestação, saúde para todos, eleições livres, qualquer um pode constituir um partido ou um grupo seja do que for e para o que for,quem isso afirma tem a memória curta, já não se lembra como era antigamente....
E quem viveu esses fantásticos dias no meio da rua sem dormir, respirando intensamente esses momentos, nunca mais os poderá esquecer!As fotos e os velhos filmes e reportagens apenas dão uma pálida ideia do que foi....

RECORDAÇÕES


Nos anos 90, já na minha casa de Caldas da Rainha.