Este blogue é dedicado à memória do meu Pai, Alberto Pedroso (7 de Abril de 1930/1 de Janeiro de 2011).

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

MARIA LAMAS E "AS MULHERES DO MEU PAÍS"

Maria da Conceição Vassalo e Silva da Cunha Lamas nasceu em Torres Vedras no dia 6 de Dezembro de 1893, ficou conhecida como Maria Lamas e foi escritora, tradutora, ensaista, jornalista e activista politica pelos direitos das mulheres portuguesas e pela Paz no Mundo.


Fez os seus estudos no Colégio religioso de Torres Vedras, Jesus, Maria e José. Casou pela primeira vez em 1910 com Teófilo José Pignolet Ribeiro da Fonseca, casamento que iria durar apenas até 1919, e do qual nasceram duas filhas, Maria Emilia e Maria Manuela. Em 1925 casou em segundas nupcias com o jornalista Alfredo da Cunha Lamas, de quem teve uma filha, Maria Candida. 

Maria Lamas foi sempre opositora contra o Estado Novo. Viveu exilada em Paris durante vários anos e chegou a ser presa pela PIDE, tendo sido encarcerada no Forte de Caxias. Durante o seu exilio apoio sempre os refugiados politicos portugueses em França e não só. Pouco após o 25 de Abril de 1974 aderiu ao PCP.

Escreveu vários livros para crianças, escreveu para vários jornais e revistas, de que se destaca "Modas e Bordados" e "Revista Mulheres", da qual foi directora.

Fez parte da Direcção do MUD, participou em vários Congressos Internacionais pela Paz e de Organizações de Direitos das Mulheres. 

Em Portugal recebeu várias condecorações, Ordem da Liberdade e Ordem de Santiago da Espada (1980).

Foi Presidente Honorária do M.D.M.

Viria a falecer no ano 1983.

O seu livro As Mulheres do Meu País foi publicado no ano de 1948 e para o escrever, a escritora percorreu o país, de autocarro, de carro, de carroça, a pé, de burro, subiu e desceu montes e vales, falou com centenas de pessoas, tirou talvez milhares de fotografias, o livro é um testemunho imprescindível para quem quer que pretenda conhecer a fundo a vida das portuguesas e dos portugueses sobretudo os das zonas rurais, nos anos 40, a miséria, a ignorância, a superstição, o obscurantismo, a falta de condições básicas de higiene e de salubridade minimas, a falta quase total de cuidados minimos médicos...











1 comentário:

  1. O artigo é muito interessante. No entanto, Maria Lamas é natural de Torres Novas, não de Torres Vedras.

    ResponderEliminar