Este blogue é dedicado à memória do meu Pai, Alberto Pedroso (7 de Abril de 1930/1 de Janeiro de 2011).

quinta-feira, 28 de março de 2013

MORREU OSCAR LOPES

Oscar Lopes nasceu no ano de 1917 em Leça da Palmeira, e anos mais tarde, já em Lisboa viria a estudar Filologia Clássica na Faculdade de Letras de Lisboa. Era um apaixonado por musica e os seus primeiros textos eram sobre musica.
No ano de 1944 filiou-se no Partido Comunista Português, então, como se sabe, na clandestinidade. Extremamente culto e erudito, foi autor de uma vasta obra no dominio da Linguistica, onde se destaca A Gramática Simbólica do Português. Foi preso várias vezes durante o Estado Novo e por isso só tarde conseguiu leccionar na Faculdade de letras do Porto, tendo sido posteriormente afastado do ensino, sempre por motivos politicos.
Alguns anos mais tarde viria a tentar escrever poesia e mesmo romance.

Foi erudito, e considerado por todos quantos o conheceram como um dos grandes intelectuais e pensadores do século XX português.



EXPOSIÇÃO "VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL" NO PATIO DA GALÉ EM LISBOA



segunda-feira, 25 de março de 2013

POEMA DE JOAQUIM PESSOA

SALGUEIRO MAIA NAS CALDAS

No Museu do Ciclismo, frente ao Parque, em Caldas da Rainha, está patente até ao dia 7 de Abril, uma pequena exposição sobre o heroi do 25 de Abril: Capitão Salgueiro Maia.

IRENE LISBOA: UMA VIDA DISCRETA

Irene do Céu Vieira Lisboa nasceu 25 de Dezembro de 1892, em Arruda dos  Vinhos, numa pequena aldeia e viria a falecer em Lisboa, no ano de 1958.

Foi escritora, professora e pedagoga. Formou-se na Escola Normal Primária de Lisboa, continuando os seus estudos em França, Bélgica e Suiça, onde se viria a especializar-se em Ciências de Educação, tendo escrito vários livros sobre o assunto. Na Suiça conheceu Jean Cocteau e e Eduardo Claparéde.

Iniciou a sua vida profissional como professora do ensino primário em 1932, tendo sido anos mais tarde designada como Inspectora Orientadora delineando um plano de ensino, sendo obviamente mais tarde afastada desse cargo para funções burocráticas. Estávamos já em pleno Estado Novo!.Em 1940 recusaria um lugar em Braga sendo definitivamente afastada do ensino, passando a dedicar-se a tempo inteiro à escrita.
Infelizmente nunca foi muito conhecida do grande público. A FENPROF, Federação Sindical dos Professores, em sua homenagem criou o Instituto Irene Lisboa.
Escreveu poesia, conto, novela, crónicas, literatura infantil.Escreveu também nas Revistas Seara Nova, Presença, O Diabo. Em alguns casos adoptou o pseudónimo de João Falco e também de Manuel Soares e Maria Moira.

A sua escrita é percorrida por uma enorme melancolia. Foi uma mulher discreta e solitária.