Este blogue é dedicado à memória do meu Pai, Alberto Pedroso (7 de Abril de 1930/1 de Janeiro de 2011).

quinta-feira, 30 de maio de 2013

AVISO!

Quando alguém disser mal dos sindicalistas e do Movimento Sindical seja em Portugal seja na Europa ou em outro local qualquer, mostrem-lhe esta fotografia de mineiros belgas no ano de 1900, lembrem que se não houvesse sindicalistas ainda hoje os trabalhadores trabalhariam e viveriam assim, se não houvesse quem se tivesse arriscado, e sacrificado e até sido morto, o capitalismo e a classe dominante continuavam a tratar o Povo, os Trabalhadores como escravos e seres inferiores que se podem dispensar sem qualquer problema pois aparecem sempre mais!É sempre bom lembrar e não esquecer!


LIVROS! LIVROS E MAIS LIVROS! "OS SEGREDOS DA DESCOLONIZAÇÃO DE ANGOLA" PELA HISTORIADORA ALEXANDRA MARQUES

Um livro polémico mas de leitura obrigatória!


QUANDO O REI IA ÀS TERMAS: A REDENÇÃO DAS ÁGUAS DE CARLOS QUERIDO

Uma interessante pesquisa histórica sobre a cidade de Caldas da Rainha, as suas termas e um Rei de Portugal.
O autor do livro, Carlos Querido, no seu lançamento, com Isabel Castanheira, uma das grandes divulgadoras de cultura de Caldas da Rainha.



DR. PAULO DE MORAIS: DA CORRUPÇÃO À CRISE

Editado pela Gradiva.

MANUEL CARVALHO DA SILVA: PROPOSTAS DE SOLUÇÕES PARA SAIR DA CRISE SEM CONTINUAR A LIXAR OS PORTUGUESES

Manuel Carvalho da Silva, economista, ex-secretário da CGTP-IN (edição do Circulo de Leitores).

terça-feira, 28 de maio de 2013

QUE SE LIXE A TROIKA: QUEREMOS AS NOSSAS VIDAS!



MIA COUTO: PRÉMIO CAMÕES 2013

O escritor e poeta Mia Couto, nascido na Beira, Moçambique no ano de 1955, é o vencedor do Prémio Camões deste ano.


1 DE JUNHO DIA MUNDIAL DA CRIANÇA (EM CALDAS DA RAINHA)



O PAÍS EM QUE NASCI (III)

Vasco Santana em filme...


passagem de emigrantes clandestinos portugueses através das serras e matas a caminho de França.... anos 60....
Lisboa, 1955,


inundações em Lisboa,
Terreiro do Paço(?)


pedreiras no Alentejo, a trabalhar de sol a sol, sem protecção, sem condições, sem nada...
Hotel Aviz, na Avenida Fontes Pereira de Melo em Lisboa, demolido em 1960 dando lugar ao que é actualmente o Hotel Sheraton....Lisboa ficou a perder...



segunda-feira, 27 de maio de 2013

ALGURES NA SIRIA: SEM PALAVRAS...



MENINOS DO RIO

Realizou-se ontem, dia 26 domingo, mais um encontro/almoço das antigas alunas da nossa Escola Lusitânia Feminina, desta vez no Restaurante Meninos do Rio, em Lisboa, mesmo mesmo à beirinha do rio Tejo. Estava um dia lindissimo, correu tudo bem, o ambiente era optimo, o convivio, velhas amigas que se reencontram, algumas após longos anos, eramos adolescentes, agora estamos bem cotas!!!! Tudo feliz, bem disposto e prontas para o próximo!








 

quinta-feira, 23 de maio de 2013

HOJE: HOMENAGEM AO ESCRITOR AQUILINO RIBEIRO NA ACADEMIA DE CIÊNCIAS DE LISBOA



PRIMEIRO DICIONÁRIO DE LINGUA CABOVERDIANA (ALUPEC) PELO DR. MANUEL VEIGA



IN MEMORIAN: GEORGES MOUSTAKI (FADO TROPICAL-1974)

SE......



1996: VENDERAM-SE 30.000 EXEMPLARES E O LIVRO DESAPARECEU DAS BANCAS!

Os segredos escondidos da Democracia Portuguesa! Não li e desconhecia, mas segundo me parece há aqui alguém, que fica muito mal na "fotografia"...

INDIA: SEM PALAVRAS!



terça-feira, 21 de maio de 2013

PADRE ANTÓNIO VIEIRA

O Circulo de Leitores está a publicar uma edição de As Obras Completas do Padre António Vieira, que viveu entre os anos de 1608 e 1697.
O Padre António Vieira foi uma das maiores figuras da História de Portugal. Religioso, pensador, filósofo, humanista, escritor, orador, foi um precursor do movimento ecologista mundial, um precursos do movimento de defesa dos Direitos Humanos, muito antes de se saber o que isso significava!. Forjou o pensamento do português moderno e também o do europeu moderno. Foi um homem muito à frente do tempo em que viveu, foi um homem que "empurrou o tempo para a frente".
Acérrimo defensor dos direitos dos povos indios no Brasil, barbaramente escravizados e expoliados pelos colonos portugueses, foi um opositor feroz da escravatura, sistema em que se baseava a colonização portuguesa no Brasil e colónias africanas.
Felizmente deixou um legado escrito para a posteridade. É uma obrigação lê-lo, estudá-lo e divulgá-lo. Só assim nos conheceremos a nós próprios e saberemos o que é verdadeiramente ser português.

"Foi uma das mais influentes personagens do seculo XVII em termos de politica e oratória, ingressou na Companhia de Jesus, destacou-se como missionário em terras brasileiras. Nesta qualidade defendeu infatigavelmente os direitos dos Povos indigenas combatendo a sua exploração e escravização e fazendo a sua evangelização. Para eles era o "Paiaçu" que quer dizer Grande Pai ou Pai em lingua Tupi.
Defendeu também os judeus, a abolição da distinção entre cristãos-novos - judeus convertidos, perseguidos no tempo da Inquisição e cristãos-velhos - os católicos tradicionais, e a abolição da escravatura. Criticou ainda severamente os sacerdotes da sua época e a própria Inquisição.
Na literatura os seus sermões possuem considerável importância no barroco brasileiro e português.Ainda hoje em muitos casos os seus textos são lidos e estudados nas Universidades.

Nasceu em lar humilde, na Rua do Cónego, em Lisboa, foi o primogénito de quatro filhos de Cristovão Vieira, de origem alentejana, sendo a sua avó paterna  mulata ou africana, e de Maria de Azevedo, natural de Lisboa. O seu pai, Cristão, serviu na Marinha Portuguesa e foi mais tarde escrivão da Inquisição. Em 1614 mudar-se-ia para o Brasil levando toda a familia consigo, tendo ido viver para a cidade de Salvador. O jovem António fez os primeiros estudos no Colégio dos Jesuitas de Salvador sendo mais tarde um brilhante aluno. Viria a ingressar na Companhia de Jesus em Maio de 1623. Um ano depois, aquando da invasão holandesa de Salvador, refugiou-se no interior da capitania onde descobriu a sua vocação missionária.Em 1625, tomou os votos castidade, pobreza e obediência. Estudou ainda Teologia, Lógica, Matemática, Metafisica, obtendo um Mestrado em Artes. Foi ainda Professor de Retórica em Olinda, e sendo ordenado sacerdote em 1634. À altura já os seus sermões eram bem famosos.

Um ano após a restauração da Independência de Portugal (1641) regressou a Lisboa iniciando uma carreira diplomática. Sobressaiu pela vivacidade de espirito e como orador, tendo conquistado a amizade e a confiança do Rei D. João IV de Portugal, que o nomeou embaixador e posteriormente pregador  régio.Como tal,visitou os Países Baixos, a fim de com eles negociar a devolução do Nordeste brasileiro por eles conquistado durante o dominio dos reis espanhois, e visitou também a França.
Em Portugal havia muitos que não gostavam das suas pregações em favor dos judeus. Viveu tempos conturbados e regressou ao Brasil entre 1652 a 1661, tornando-se missionário no Maranhão., onde voltou a defender a liberdade e os direitos dos povos indios. Entretanto havia entrado em conflito com o Santo Oficio (Inquisição). De regresso a Portugal, em 1654, o navio em que viajava naufragou e para maior azar foi ainda atacado por corsários, apesar do que todos os viajantes conseguiram alcançar sãos e salvos a Ilha do Corvo nos Açores. António Vieira permaneceu algum tempo nos Açores onde também os seus sermões e pregações faziam acorrer multidões.


Caiu em desgraça com a morte do Rei, já que a viúva e regente, a Rainha D. Luisa de Gusmão não engraçava muito com ele.
Abraçou a profecia Sebastiana e do V Império e por isso de novo entrou em conflito com a Inquisição.Viajou até Roma onde viveu cerca de 6 anos encontrando o Papa à beira da morte e deslumbrando a Curia com os seus conhecimentos. Por isso conseguiu do Papa a anulação junto da Inquisição das suas penas e condenações.De regresso a Lisboa, e quando no ano de 1671 houve uma nova perseguição aos judeus, voltou a defendê-los.
Já velho, regressou definitivamente ao Brasil, e dedicou-se à tarefa de coligir e compilar todos os seus escritos.Veio a falecer na cidade da Baia a 18 de Julho de 1697, com 89 anos de idade.
(o texto em itálico é retirado de Wikipédia).