Este blogue é dedicado à memória do meu Pai, Alberto Pedroso (7 de Abril de 1930/1 de Janeiro de 2011).

sexta-feira, 9 de maio de 2014

MESTRE MANUEL CABANAS (1902/1995)

Manuel dos Santos Cabanas nasceu em Vila Nova de Cacela, no dia 11 de Fevereiro de 1902, numa familia muito humilde;  e após a escola primária trabalhou no campo, actividade de seus pais e familia; no ano de 1920 passou a trabalhar como encarregado de armazém nos caminhos de ferro, em 1922 mudou-se para o Barreiro, onde exerceu mais tarde actividade no Sindicato dos Ferroviários, o que atraiu as atenções da policia da ditadura sobre si.

Em 1927, na altura da Revolta de 7 de Fevereiro, teve o seu primeiro embate com a ditadura, quando o Almirante Mendes Cabeçadas Junior o convidou para integrar a Comissão Revolucionária local, tendo sido preso pela primeira vez na sequência dessa revolta. Libertado e como represália é enviado para a Moita do Ribatejo em trabalho nocturno, também como ferroviário. 

Discretamente, vai continuando a sua oposição politica ao regime de Salazar, mantém contactos com personalidades e grandes nomes tais como: Aquilino Ribeiro, Ramada Curto,  Bento de Jesus Caraça, Camara Reis, Piteira Santos, José Magalhães Godinho, Vasco da Gama Fernandes, Jaime Cortesão, Raul Proença, Raul Rego, Arlindo Vicente, com os quais participou em múltiplas actividades politicas. 

Durante alguns anos, no Barreiro de novo, fez parte da direcção do Asilo D. Pedro V, uma instituição muito pobre onde consegue algumas melhorias nos serviços e equipamentos. Desenvolveu também uma extensa actividade na Comissão Nacional de Assistência aos Tuberculosos (doença que ainda afectava  uma grande parte da população pobre portuguesa), o que lhe valeu nova prisão.


Fez parte da Oposição Democrática e mais tarde seria um dos fundadores do Partido Socialista, e já septuagenário, após o 25 de Abril de 1974, foi deputado à Assembleia da República e também Chefe de Redacção da "Revista do  Povo".

No ano de 1938 iniciou uma actividade artistica com trabalhos de gravação em madeira, tendo rompido abruptamente com as técnicas tradicionais de gravação.


No inicio do seu trabalho artistico, os desenhos xilogravados por Cabanas eram feitos pelo seu amigo o pintor Américo Marinho mas com o passar do tempo o próprio artista começou a realizar esse trabalho a fim de ser esculpido em madeira de buxo. Em 1939 começa a expor os seus trabalhos o que lhe valeu vários prémios e uma distinção da Sociedade Nacional de Belas Artes. 

Ns anos 40, 50 e 60, foi responsável das campanhas da Oposição no distrito de Setúbal, tendo sido também mandatário dos candidatos à Presidência da República da Oposição Democrática, Prof. Ruy Luis Gomes, General Humberto Delgado, Prof. Arlindo Vicente, General Norton de Matos. 

Em 1963 foi obrigado a reformar-se compulsivamente por razões politicas, tendo então trabalhado como funcionário da Ordem dos Advogados e como professor do ensino técnico do qual foi afastado no ano de 1968 por ser "contrário aos altos interesses da Nação". Autodidacta, foi-se cultivando e aprendendo sempre ao longo da sua vida. Frequentava as tertúlias da Livraria Bertrand e do consultório do Prof. Pulido Valente. Grande parte da sua obra foi doada ao Museu Municipal de Vila real de Stª António. Foi também Maçon, pertencendo aos quadros do Grande Oriente Lusitano. Muitos dos seus trabalhos foram utilizados em pequenos postais para angariação de fundos pela Oposição Democrática.

Faleceu aos 93 anos de idade, no dia 25 de Maio de 1995, no Hospital de Faro.



















Sem comentários:

Enviar um comentário