Este blogue é dedicado à memória do meu Pai, Alberto Pedroso (7 de Abril de 1930/1 de Janeiro de 2011).

domingo, 5 de outubro de 2014

RUAS DA MINHA VIDA III


Bairro da lata no Vale Escuro, Penha de França, mesmo defronte de casa da minha mãe, convivemos longos anos com aquelas centenas de pessoas mesmo debaixo das nossas janelas e das nossas vidas


Cervejaria Trindade, bem no coração da cidade de Lisboa, jantei e ceei lá durante muitos e bons anos, lembro-me de um personagem, uma lenda urbana, de quem se contavam histórias romanticas e loucas, sempre sózinho, sempre muito digno, com uma eterna garrafa de vinho à sua frente




Antigo Retiro do Quebra Bilhas, a ideia foi do meu Pai que já lá ia em pequeno com o meu Avô e familia, fomos lá bastantes vezes, ainda tenho as fotos que tirávamos, havia gatos no páteo traseiro, situava-se no Campo Grande mesmo ao lado da casa de pessoas amigas, agora creio que fechou, é pena, comia-se bem e era um local muito antigo e tradicional da cidade.


Terreiro do Paço


páteos de Lisboa


Fonte Luminosa em Lisboa, brinquei e corri lá muitas e muitas vezes, o meu Pai leváva-nos e um dia uma coleguinha da escola fez lá a festa de anos, foi um dia inesquecível.



Avenida de Berna, Lisboa, ali muito perto morou o meu Pai durante 50 anos,


na Avenida Santos Dumond, nº 48.


cinema Império em Lisboa, e o Café Imperio, foi durante décadas um dos locais  de encontro da cidade.






Rua da Beneficência no Bairro Santos, entre a Avenida de Berna e o Hospital de Santa Maria, bairro onde morei durante alguns meses, no ano de 1973,




a Rua Carlos Reis, no Bairro Santos.


Rua Álvaro de Castro



Rua Filipe da Mata


a Pastelaria São Carlos na Rua da Beneficência onde tomava café de manhãzinha e o pequeno almoço


e a Adega da Tia Matilde, logo ali ao lado dos caminhos de ferro, caro, mas onde se comia muito bem 

Sem comentários:

Enviar um comentário